França aprova lei e se torna pioneira na regulamentação do mercado de influenciadores

A nova lei proíbe a promoção de cirurgias estéticas, alguns produtos financeiros e restringe conteúdos sobre apostas

O Parlamento francês aprovou uma nova lei para regulamentar o marketing de influenciadores digitais, tornando a França o primeiro país da Europa a adotar medidas nesse sentido.

Essa legislação visa combater abusos e garantir a segurança dos consumidores diante de práticas fraudulentas e promoção de produtos prejudiciais à saúde.

Com a nova lei, os influenciadores terão limites no que podem monetizar e promover online, e aqueles que desrespeitarem as regras estarão sujeitos a penalidades que podem chegar a dois anos de prisão e multa de  € 300 mil (cerca de R$ 1,6 milhão).

 

O que muda com a nova lei?

Com a aprovação da nova lei, os influenciadores digitais na França agora devem se adequar a um regime jurídico semelhante ao de profissionais da mídia tradicional, como rádio e televisão.

A legislação impõe restrições específicas, como a proibição de promoção de produtos e tratamentos que exijam prescrição médica reservada a profissionais de saúde, incluindo procedimentos estéticos.

Além disso, a propaganda de apostas, investimentos em criptomoedas e outros produtos financeiros de risco, bem como a promoção do tabaco e produtos de nicotina, estão restritas a redes sociais que consigam limitar o acesso de menores de idade.

A nova regulamentação também exige que os influenciadores informem aos seguidores quando postarem imagens geradas por inteligência artificial ou fotos e vídeos que tenham filtros.

 

“A lei da selva acabou”

De acordo com o parlamentar socialista Arthur Delaporte, “a lei da selva acabou”.

A velocidade e a unanimidade com que a lei foi aprovada demonstram o apoio governamental e parlamentar à necessidade de proteger os consumidores, especialmente os mais jovens, diante dos desafios apresentados pelo mundo dos influenciadores digitais.

 


Será que a moda pega?

A aprovação da lei para regular a atuação dos influenciadores digitais na França destaca a preocupação das autoridades em proteger os consumidores e garantir a transparência nas práticas de marketing nas redes sociais.

Como a tendência é globalizar as regulamentações que dão certo, é possível que esse movimento inspire outros países a adotarem medidas semelhantes para controlar a “selva de influenciadores”.

À medida que a indústria do marketing de influência continua a evoluir, é provável que mais nações busquem regulamentar e definir diretrizes claras para essa forma de publicidade online.

Com informações de O Globo.

Quer saber de tudo, antes de todos?

Receba as principais notícias e atualizações sobre redes sociais, ads e marketing digital resumidas no seu e-mail!

Isso pode te interessar:

OPINE:

Compartilhe:

VEJA TAMBÉM:

Google Ads

Checklist do Google Ads: 5 maneiras de auditar e otimizar suas campanhas

Aumente seu sucesso no Google Ads! Audite, otimize e direcione o público certo para maximizar o ROI e as conversões

Não pague à Apple! Meta compartilha dicas para evitar taxas de impulsionamento de posts

A Meta publicou um infográfico dando quatro dicas para anunciantes evitarem a taxa de 30% da Apple ao impulsionar seus anúncios

Telegram ou WhatsApp? O que usar no seu marketing

Telegram ou WhatsApp: qual usar no seu marketing?

Telegram ou WhatsApp? Qual usar dentro das suas estratégias de marketing? A resposta não é tão simples quanto parece.

Aqui você encontra as principais notícias sobre Marketing Digital e atualizações sobre o mundo das Redes Sociais, Ads, Infoprodutos, Vendas Online.