Pesquisa We Are Social: conheça as principais tendências globais de mídia social em 2023

Descubra como o mundo digital está mudando e explore as tendências e os desafios em constante evolução

O cenário digital e social continua a evoluir de maneiras fascinantes. E é isso que mostra o novo Relatório de Visão Geral Global Digital 2023, produzido em parceria com a Meltwater e a We Are Social.

Nos últimos doze meses, os comportamentos digitais do mundo mostraram algumas das mudanças mais profundas, mesmo em comparação com os “anos da pandemia”.

Essa pesquisa revela que esses comportamentos também estão evoluindo de várias maneiras inesperadas.

Este novo relatório tem os dados e insights de que você precisa saber para entender as últimas tendências, por isso resolvemos trazer alguns tópicos principais.

 

Principais tendências do Digital em 2023

Alguns dos principais dados mostrados no Relatório Digital 2023, e que traremos aqui, incluem:

  • O movimento dos números de usuários da Internet;
  • O declínio no tempo gasto online;
  • A mudança no comportamento de compra online;
  • Mudança de comportamento dos usuários nas redes sociais;
  • Grande queda dos CPMs;
  • Crescimento do Marketing de Busca;
  • Diminuição do alcance dos anúncios da Meta;
  • Anúncios do TikTok atingindo mais adultos;
  • Crescimento da audiência do Twitter.

Esses tópicos são apenas uma fração do que o relatório completo nos traz, já que nele contém mais de 400 gráficos que exploram o que as pessoas realmente estão fazendo na internet, redes sociais, dispositivos móveis e plataformas de compras online.

 


As 10 principais tendências de 2023

 

1. Os números de usuários da Internet

De acordo com o estudo, o número de usuários da internet pelo globo é de 5,16 bilhões.

O que é um pouco maior do que o número de 5,07 bilhões apresentado pelo mesmo estudo em outubro de 2022.

No entanto, o importante é que a análise enfatiza que o número de usuários não cresceu em 90 milhões apenas nos últimos três meses, mas sim que esse número cresceu 98 milhões nos últimos doze meses.

Isso se traduz em um crescimento ano a ano de pouco menos de 2%, o que é marcadamente mais lento do que as taxas de crescimento que foram vistas durante a década de 2010.

A análise dos dados ainda indica que o crescimento do usuário realmente diminuiu nos últimos meses.

Vale ressaltar que essa desaceleração é esperada, especialmente agora que mais de 6 em cada 10 pessoas na Terra já usam a internet.

E, apesar da recente desaceleração, as tendências atuais sugerem que cerca de dois terços da população mundial deve estar online até o final de 2023.

 

2. Declínio no tempo gasto online

Por incrível que isso possa parecer, a quantidade de tempo que as pessoas passam online diminuiu quase 5% ano a ano.

O relatório diz que o usuário típico reduziu a quantidade de tempo que gasta usando a internet em 20 minutos por dia desde o ano passado.

Há um ano, os dados da empresa mostraram que os usuários de internet em idade ativa gastavam uma média de quase 7 horas por dia online, mas isso caiu para 6 horas e 37 minutos por dia na pesquisa mais recente.

Coincidentemente ou não, este último número está muito próximo da média diária do terceiro trimestre de 2019 – pouco antes da pandemia de COVID-19 causar seu profundo impacto nos comportamentos digitais do mundo.

A quantidade média de tempo que as pessoas gastam usando a internet não mudou nos últimos três meses, então não está claro se esses números cairão ainda mais.

 

3. Mudança no comportamento de compra online

Os dados sobre as compras online são interessantes, porque há muitas evidências que mostram que as pessoas agora estão mais dispostas a usar o comércio eletrônico se comparado com os tempos pré-pandêmicos.

De acordo com o estudo:

Antes da pandemia, as pessoas que usavam o comércio eletrônico compravam itens em categorias como moda, beleza e eletrônicos. Enquanto alguns ocasionalmente pediam alimentos e bebidas, a maioria nem mesmo considerava comprar mantimentos. Agora isso mudou. E depois que as pessoas aprenderem como fazer isso e experimentarem a conveniência e a flexibilidade que ele oferece, é difícil desaprender.

Em outras palavras, quando as pessoas são forçadas a desenvolver novos hábitos, mas posteriormente descobrem os benefícios desses novos comportamentos, há uma boa chance de que esses novos hábitos permaneçam.

No entanto, os dados também mostram que as pessoas voltaram às lojas do mundo físico assim que as restrições do COVID-19 diminuíram.

Mas a pesquisa da Statista revela que – apesar de um declínio geral nos gastos globais com varejo (online e offline) no ano passado – os canais online reivindicaram uma parcela maior dos gastos em 2022 do que em 2021.

Os mesmos dados também revelam que os canais online representaram apenas 17,1% dos gastos globais no varejo no ano passado.

Isso significa que – em nível mundial – o comércio eletrônico ainda representa apenas cerca de 1 em cada 6 dólares dos gastos dos consumidores no varejo.

Então não, a COVID-19 não mudou fundamentalmente as compras.

E, além disso, agora que a maioria das pessoas tem maior liberdade quando se trata de escolher os canais de varejo, pode-se esperar que eles adotem uma mistura de compras online e offline.

No entanto, é importante lembrar que muitas pessoas agora estão mais familiarizadas com o comércio eletrônico do que antes do lockdown e, como resultado, há uma probabilidade maior de escolher canais online hoje em comparação com antes da pandemia.

 

4. Crescimento da publicidade digital

Ao se tratar de conteúdo com suporte de anúncios, talvez o maior beneficiário das mudanças induzidas pela pandemia nos comportamentos digitais do mundo tenha sido o setor de publicidade digital, passando de 57,4% em 2019 para 73,3% em 2022.

Em termos absolutos, as receitas de anúncios digitais aumentaram 78% nos últimos 3 anos, de um total pré-pandêmico de pouco menos de US$ 375 bilhões em 2019 para mais de US$ 667 bilhões em 2022.

Como é possível ver no gráfico abaixo, o maior salto ocorreu em 2021, com as receitas globais de anúncios digitais aumentando em um terço em comparação com os gastos de 2020.

Em outras palavras, a COVID-19 reformulou significativamente os investimentos em publicidade global, e essa mudança para o digital parece ter perdurado.

 

● As redes sociais e a publicidade digital

Ainda no mundo da publicidade digital, as plataformas de rede social parecem ter sido muito bem beneficiadas.

A análise indica que a participação da mídia social nos gastos globais com anúncios digitais cresceu de aproximadamente um quarto do total em 2019 para mais de um terço em 2022.

Isso, por si só, já é bastante impressionante, mas os números absolutos de gastos contam uma história ainda mais convincente.

Dados publicados no Statista’s Advertising & Media Outlook mostram que os gastos mundiais com anúncios de mídia social mais que dobraram desde o surto de COVID, atingindo US$ 226 bilhões em 2022.

 

5. Mudança de comportamento dos usuários nas redes sociais

O aumento no uso das redes sociais foi um grande destaque durante a pandemia. Quase todas as plataformas registraram um crescimento impressionante na maioria das principais métricas.

No entanto, essas mudanças ocorridas nesse tempo em específico se traduz em comportamentos digitais duradouros?

No geral, a resposta a essa pergunta é “sim”, mas há algumas ressalvas.

  • O número de usuários das redes sociais continua a crescer.

A análise da Kepios revela que o total global de usuários de rede social aumentou quase 30% desde o início da pandemia, equivalendo a mais de 1 bilhão de novos usuários nos últimos 3 anos.

As taxas de crescimento nos últimos anos também indicam que a COVID-19 acelerou a adoção das redes sociais.

Por exemplo, o crescimento anual entre 2020 e 2021 foi quase duas vezes mais rápido do que nos doze meses anteriores, e o crescimento continuou a uma taxa de dois dígitos entre 2021 e 2022.

Ainda assim, o crescimento desacelerou drasticamente nos últimos doze meses, e o número de crescimento mundial relatado no relatório Digital 2023 é o mais baixo que já visto.

Apesar disso, é importante destacar que o número de usuários continua aumentando.

  • Os usuários estão gastando mais tempo nas redes sociais

Os dados da GWI também mostram que as pessoas estão de fato gastando mais tempo nas redes sociais do que nunca.

A última onda de pesquisa da empresa revela que o típico usuário de internet em idade ativa gasta mais de 2 horas e meia por dia usando plataformas sociais, que é o número mais alto já visto.

As mídias sociais agora respondem por sua maior participação no tempo online total, com quase 4 em cada 10 minutos gastos online atribuíveis a atividades de rede social.

Entre os aplicativos de mídia social mais usados do mundo, o TikTok teve a maior média de uso mensal por usuário ao longo de 2022.

Os usuários do aplicativo Android da plataforma de vídeos curtos gastaram em média quase 23 horas e meia por mês usando o aplicativo TikTok entre janeiro e dezembro do ano passado, um pouco à frente das 23 horas e 09 minutos mensais do YouTube.

 

6. Os CPMs registraram grande queda

Novos insights do Skai.io revelam que o custo para alcançar o público de mídia social caiu significativamente no trimestre de “feriados” no final de 2022.

A análise da empresa indica que o gasto total com anúncios em mídia social nos últimos três meses de 2022 excedeu o valor equivalente para a temporada de festas de 2021 em aproximadamente três por cento.

Enquanto isso, os anunciantes gastaram 8,4% a mais em anúncios de mídia social nos últimos três meses de 2022 do que entre julho e setembro de 2022.

No entanto, os mesmos dados revelam que as plataformas de rede social também entregaram 57% mais impressões de anúncios no quarto trimestre de 2022 do que no quarto trimestre de 2021.

Quando o crescimento nas impressões supera o crescimento no gasto geral, isso inevitavelmente leva a uma queda no custo médio por impressão.

E os dados da Skai oferecem um número claro para essa queda: um declínio de 35% ano a ano nos CPMs de mídia social (ou seja, o custo para fornecer 1.000 impressões de anúncios).

Se você acha que está vendo mais anúncios em plataformas de mídia social do que nunca, esses dados sugerem que você provavelmente está certo.

 

7. O Marketing de Busca continua a crescer

Essas tendências de aumento não se limitam à publicidade nas redes sociais, os dados da Skai mostram padrões semelhantes na publicidade de busca global.

No geral, a análise da empresa revela que os anunciantes gastaram 7% a mais em anúncios de pesquisa no quarto trimestre de 2022 do que nos últimos três meses de 2021.

No entanto, assim como visto nas tendências de anúncios de mídia social, o número total de impressões veiculadas cresceu muito mais rapidamente do que o gasto total com anúncios.

De fato, os dados da Skai sugerem que os mecanismos de pesquisa forneceram 23% mais impressões de anúncios no feriado de 2022 do que no quarto trimestre de 2021.

E para contexto adicional, o número de impressões de anúncios de pesquisa veiculados no quarto trimestre de 2022 foi 30% maior do que o número de anúncios veiculados nos três meses anteriores.

Como resultado, foi visto um declínio constante nas taxas médias de custo por clique (CPC) de pesquisa ao longo de 2022, com o valor médio para o desembarque do quarto trimestre em apenas US$ 0,60 por clique.

Isso é cerca de 12% a menos do que os profissionais de marketing pagaram no final de 2021 e também 7% a menos do que o preço médio do período entre julho e setembro de 2022.

 

8. Potencial reduzido de alcance dos anúncios da Meta

Em nível mundial, os números mais recentes da Meta indicam que os anúncios do Facebook agora atingem 127 milhões de usuários a menos do que as mesmas ferramentas relatadas no mesmo período do ano passado, o que equivale a um declínio ano a ano de 6%.

O Instagram viu uma “correção” ainda maior, com os próprios dados da empresa mostrando uma queda de 160 milhões de usuários no ano passado, uma queda de quase 11%.

O Messenger também não escapou das revisões, e os números de alcance relatados pela Meta para o aplicativo de bate-papo no início de 2023 são quase 6% menores do que os números relatados pela empresa no início de 2022.

 

9. Anúncios do TikTok atingem mais de 1 bilhão de adultos

Os números publicados nos recursos de publicidade do TikTok revelam que os anúncios na plataforma de vídeos curtos agora atingem mais de um bilhão de usuários com mais de 18 anos.

Por mais que esses números possam ser distorcidos por declarações incorretas de idade, ainda são números impressionantes.

Além disso, os próprios dados da empresa indicam que o alcance do anúncio do TikTok aumentou 11% apenas nos últimos três meses, com números sugerindo mais de 100 milhões de novos usuários entre outubro de 2022 e janeiro de 2023.

Ademais, os mesmos dados sugerem que o alcance do anúncio do TikTok cresceu quase 19% desde o ano passado, com 166 milhões de novos usuários elevando o total mais recente para 1,05 bilhão.

 

10. Crescimento da audiência do Twitter

Elon Musk e companhia trazem boas notícias: os dados mais recentes indicam que o Twitter também aumentou o alcance de seus anúncios nos últimos meses.

Os números publicados nas próprias ferramentas de anúncios da empresa indicam que o alcance global aumentou em 12 milhões de usuários desde outubro de 2022 e em 120 milhões de usuários desde essa época no ano passado.

A análise do Kepios de dados de tráfego na web e uso de aplicativos móveis não mostra sinais do “êxodo” que muitos previram na época da aquisição de Musk.

 

Vá mais fundo…

Há muito mais dados excelentes e muito mais insights fascinantes para explorar no relatório deste ano.

Aqui nós separamos os principais e mais interessantes tópicos da pesquisa. No entanto, se você quiser analisá-lo melhor e ficar sabendo de todas as tendências, ele está disponível neste link.

Quer saber de tudo, antes de todos?

Receba as principais notícias e atualizações sobre redes sociais, ads e marketing digital resumidas no seu e-mail!

Isso pode te interessar:

OPINE:

Compartilhe:

VEJA TAMBÉM:

Threads da Meta e Facebook

Ainda tentando! Meta está testando postagens cruzadas do Facebook para Threads

Segundo a Meta, o recurso ainda está em teste para usuários do iOS e pretende facilitar o cruzamento de postagens entre Facebook e Threads

Gemini no Performance Max do Google

Google está adicionando Gemini às campanhas Performance Max

Google anunciou está adicionando seu modelo de linguagem IA Gemini às campanhas Performance Max, para ajudar a criar campanhas mais eficazes

marketplace de criadores instagram

Um portfólio digital para criadores: Instagram traz marketplace de criadores para o Brasil

O novo recurso do Instagram que promete ser um portfólio digital para influenciadores chega ao Brasil e a outros sete países

Aqui você encontra as principais notícias sobre Marketing Digital e atualizações sobre o mundo das Redes Sociais, Ads, Infoprodutos, Vendas Online.