ROAS desejado no Google Ads: cinco considerações principais

Aprenda os principais fatores a serem considerados ao avaliar esta estratégia de lances com base no valor do Google Ads para sua empresa

Alcançar o Retorno Sobre o Investimento em Publicidade (ROAS) desejado é como encontrar um verdadeiro tesouro no mundo da publicidade PPC (Pay per click).

Diferentemente dos lances que se baseiam em cliques e conversões, essa estratégia é planejada para otimizar os aspectos financeiros do seu negócio. No entanto, conquistar o ROAS desejado não é uma tarefa fácil e requer uma configuração cuidadosa para atingir todo o seu potencial.

De acordo com dados internos do Google de março de 2021, os anunciantes que fizeram a transição do CPA (custo por ação) desejado para o ROAS desejado conseguiram aumentar o valor das conversões em até 14%.

O Google também relata que empresas que migraram do Smart Shopping para as estratégias de Maximizar o Valor da Conversão e ROAS desejado experimentaram um notável aumento de até 30% no valor das conversões.

No entanto, é importante observar que os resultados podem variar substancialmente entre empresas e setores econômicos diferentes. O sucesso dos lances baseados em valor está diretamente relacionado à harmonização com o modelo de negócios específico de cada empresa e à qualidade da sua implementação.

Sendo assim, exploraremos as principais considerações ao adotar a estratégia do ROAS desejado, ajudando você a determinar se essa abordagem de lances com base no valor é adequada para a sua organização.

 

ROAS desejado: uma visão geral

O ROAS desejado, também chamado de tROAS, é uma estratégia inteligente no Google Ads para otimizar o valor das conversões com base na sua meta de retorno de investimento em publicidade.

Essa abordagem utiliza dados contextuais, históricos e sinais de público-alvo, ajustando automaticamente os lances para atingir seu objetivo de ROAS.

É importante notar que, na prática, algumas conversões podem gerar um ROAS mais elevado do que outras. O Google leva isso em consideração e recalibra os lances de forma a manter o ROAS desejado, tornando a estratégia altamente adaptável e eficaz.

 

Lances com base no valor do cliente potencial

Lance de conversão Google
(Imagem: Think With Google/adaptação)

A atualização de uma estratégia baseada em conversão para uma estratégia baseada em valor representa uma mudança da otimização para o maior número de conversões para a priorização dos clientes mais valiosos, de acordo com Ginny Marvin, representante de produtos de anúncios do Google.

Como consequência desta mudança, os anunciantes devem antecipar um compromisso entre volume e valor. Portanto, geralmente é mais provável que o ROAS desejado retorne um valor de conversão total mais alto, mas um volume de conversão menor do que o CPA desejado.

Aqui estão cinco considerações principais para ajudar a avaliar a preparação de sua empresa para tROAS no Google Ads.

 


1. Variabilidade no valor de vendas

Antes de nos aprofundarmos nos requisitos mais técnicos da licitação baseada no valor, pode ser útil avaliar o tamanho da oportunidade.

Considerando a variabilidade no valor das vendas, você terá alguma indicação da vantagem potencial que o ROAS desejado pode trazer para o seu negócio. Basicamente, o lance baseado em valor visa otimizar resultados de conversão de alto valor e afastar-se de resultados de conversão de baixo valor.

Se sua empresa apresenta alta variabilidade no valor de vendas dentro da mesma categoria de produto ou serviço, você está em melhor posição para colher os frutos do ROAS desejado.

Considere uma loja de comércio eletrônico que vende produtos no valor de R$ 20, R$ 50 e R$ 100.

Se todas as coisas forem iguais, é mais provável que esta loja se beneficie de lances baseados em valor do que uma loja que vende apenas produtos no valor de R$ 50. Isso ocorre porque o algoritmo pode gerar mais vendas de R$ 100 e menos vendas de R$ 20.

A disparidade de valor cria a oportunidade de otimizar resultados de conversão mais valiosos.

Por outro lado, a loja do segundo exemplo carece da mesma capacidade de otimização, pois todos os produtos valem o mesmo.

Os lances baseados em valor são ainda mais amplificados por uma maior variação ou dispersão no valor de conversão. No exemplo inicial, há um nível moderado de variância.

Uma distribuição mais ampla nos valores de conversão dá à inteligência artificial (IA) mais espaço para encontrar eficiência e maximizar o valor geral da conversão.

O princípio da variabilidade se aplica a qualquer valor de conversão atribuído, seja receita, lucro bruto ou outra estimativa de valor exclusiva para o seu negócio.

 

Usando lances baseados em valor em cenários de baixa variabilidade

E se seus produtos ou serviços tiverem preços semelhantes? Você ainda poderia se beneficiar de lances baseados em valor?

Mesmo que os seus preços sejam uniformes, as margens de lucro podem ser diferentes. Clientes diferentes podem comprar quantidades variadas em frequências e taxas de repetição diferentes.

Em outras palavras, se a variabilidade do valor de conversão for baixa do ponto de vista da receita, pode não ser do ponto de vista do lucro bruto ou do valor de vida útil do cliente (CLV). Exploraremos as implicações de cada uma dessas opções em breve.

Suponha que cada venda no seu negócio gere o mesmo valor de conversão, independentemente da medida financeira que você associa a ela. Neste cenário, você atribuiria um valor idêntico a cada conversão.

Isso é semelhante ao CPA desejado, mas em vez de informar ao Google quanto você está disposto a pagar por uma conversão, você define quanto vale uma conversão e usa o ROAS desejado como alavanca.

A principal diferença é que, com lances baseados em valor, seus lances estão atrelados aos seus retornos. A IA ajustará automaticamente os lances com o valor de conversão em relação à sua meta de ROAS.

Portanto, o ROAS desejado oferece um benefício de automação, mesmo quando o valor das conversões não flutua.

 

2. Volume de vendas

Outra consideração importante é o número de vendas que sua empresa gera a cada mês. Isso lhe dirá se você pode acumular dados de conversão suficientes continuamente para atingir os limites mínimos de conversão.

O ROAS desejado exige limites mínimos de conversão para fornecer ao Google dados adequados para tomar decisões de lance estatisticamente confiáveis.

Esses dados permitem que a IA identifique padrões, estabeleça correlações e obtenha insights significativos que alimentam o aprendizado de máquina.

Sem dados de conversão suficientes, a IA basearia as suas análises em amostras menores e potencialmente não representativas, o que poderia comprometer as suas capacidades preditivas.

Conjuntos de dados maiores oferecem ao Google mais oportunidades de aprender e definir lances de maneira mais eficaz. A maioria dos tipos de campanha exige pelo menos 15 conversões por campanha nos 30 dias anteriores para gerar o ROAS desejado.

No entanto, os limites mínimos podem variar de acordo com o tipo de campanha, conforme mostrado na tabela abaixo. Observe que suas conversões devem incluir valores válidos para se qualificarem para o limite.

Consulte as diretrizes mais recentes para obter as informações mais atualizadas. (Imagem: Search Engine Land)

Para campanhas novas ou pequenas com dados de conversão insuficientes, você pode começar com Maximizar o valor da conversão, que não tem requisitos mínimos.

Em seguida, atualize para o ROAS desejado assim que atingir o limite exigido para seu respectivo tipo de campanha.

Uma decisão importante é qual evento de conversão usar como ação de conversão principal. Ao decidir, você deve considerar o volume de vendas em conjunto com a duração do seu ciclo de vendas.

 

3. Duração do ciclo de vendas

A duração do seu ciclo de negócios ditará a velocidade com que você pode atribuir valores a diferentes conversões e alimentá-los de volta ao Google.

Quanto mais rápido você importar valores de conversão, mais cedo a IA poderá levar em consideração esses dados em seus cálculos.

Os ciclos de vendas podem variar significativamente dependendo do setor em que você atua. Sendo assim, você deve escolher a ação de conversão principal com maior probabilidade de gerar o desempenho ideal.

Como regra geral, o Google recomenda a otimização para o evento de conversão que ocorre mais abaixo no funil de marketing e que atende aos critérios mínimos de elegibilidade.

Aqui estão algumas diretrizes gerais para informar sua decisão:

 

Cenário 1: Alto volume de vendas, ciclo de vendas curto

Se o seu ciclo de vendas for de cerca de duas semanas ou menos e você gerar pelo menos 100 vendas por mês, estará em condições de otimizar as vendas ou negócios fechados.

Se você estiver executando campanhas de geração de leads, considere ações de conversão observacionais secundárias, como:

  • Leads qualificados de vendas (SQLs).
  • Leads qualificados de marketing (MQLs).
  • Envios de formulários.
  • Chamadas.

Como alternativa, se você estiver executando campanhas de comércio eletrônico, considere incluir início da compra, adição ao carrinho ou assinaturas de boletins informativos como conversões secundárias.

 

Cenário 2: Baixo volume de vendas, longo ciclo de vendas

Se o seu ciclo de vendas de geração de leads for de até três meses e você gerar pelo menos 30 vendas por mês, considere usar SQLs ou MQLs como sua ação de conversão principal.

Também pode valer a pena incluir vendas, envios de formulários e ligações como conversões secundárias para aumentar a visibilidade do seu funil.

No comércio eletrônico, considere usar iniciar a compra ou adicionar ao carrinho como sua ação de conversão principal, enquanto adiciona vendas e assinaturas como conversões secundárias.

 

Cenário 3: Baixo volume de vendas, longo ciclo de vendas e longo tempo de qualificação de leads

Se o tempo de qualificação do lead demorar mais de 30 dias:

  • Use envios de formulários e ligações como conversões primárias.
  • Considere importar vendas, SQLs, MQLs e interações de página como conversões secundárias.
Ações de conversão recomendadas na geração de leads
(Tabela: Search Engine Land)
ações de conversão recomendadadas em comércio eletrônico
(Tabela: Search Engine Land)

O Google recomenda importar todo o seu funil de conversão para melhorar a visibilidade e, ao mesmo tempo, focar em uma única ação de conversão primária para otimização de lances.

Uma exceção a isso poderia ser o uso de envios de formulários e chamadas como ações de conversão primárias, desde que não haja duplicação

Mapear seu funil de marketing pode ser um bom ponto de partida para visualizar as principais ações de seus clientes potenciais ao longo de seu caminho de conversão.

A calculadora do valor de conversão do Google fornece uma maneira rápida de calcular os valores médios das ações de conversão em cada etapa da jornada do cliente.

 

4. Precisão dos dados

Até agora, enfatizamos a importância da variabilidade, volume e frequência. No entanto, a qualidade dos seus dados determinará o grau do seu sucesso.

No contexto do ROAS desejado, a qualidade dos dados é a medida em que seus valores de conversão refletem com precisão o valor econômico para sua empresa.

O ROAS desejado depende de informações precisas para fornecer o retorno do investimento em publicidade desejado.

Se os seus valores de conversão não corresponderem ao seu verdadeiro valor monetário, os lances da IA e os resultados da sua campanha também não corresponderão.

O princípio “entra lixo, sai lixo” aplica-se firmemente aqui. Não importa quão avançado seja o algoritmo, é improvável que uma entrada de baixa qualidade produza uma saída de alta qualidade.

Isso nos leva à próxima decisão importante: quais valores de conversão você alimenta a IA? Como regra geral, sua estratégia de aquisição deve estar alinhada com seus objetivos de negócios.

 

5. Infraestrutura de dados

Esperamos que agora você já tenha uma ideia de como lidar com lances baseados em valor para seu caso de uso específico. Supondo que sua empresa atenda a todos os requisitos, a próxima consideração importante é a logística de dados.

Mais especificamente, de quais sistemas você precisará para agilizar seus dados de marketing e sua empresa tem capacidade para atender às suas necessidades?

A implementação do ROAS desejado exigirá uma maneira confiável de coletar, armazenar e importar dados regularmente para o Google. Você pode fazer isso manualmente, automaticamente ou combinar os dois dependendo da sua estratégia.

Aqui estão as três principais opções de rastreamento disponíveis:

 

Acompanhamento manual de conversões

O acompanhamento de conversões manual permite atribuir um valor de conversão estático para cada ação de conversão no Google Ads. Isso pode ser facilmente configurado e modificado na plataforma sem a necessidade de conhecimento técnico ou software de terceiros.

Conforme observado anteriormente, esta é uma forma imprecisa de acompanhar o valor, já que os valores de conversão estáticos não levam em conta variações no valor de compra. É por isso que é um método de acompanhamento de conversões abaixo do ideal.

 

Acompanhamento de conversões baseado em tags

O acompanhamento de conversões baseado em tags depende de um snippet de código JavaScript gerado pelo Google (a “tag”) incorporado em seu website.

Quando um usuário conclui uma ação de conversão, a tag captura o valor de conversão associado e o envia de volta ao Google.

As empresas de comércio eletrônico costumam usar esse método de rastreamento, pois fornece uma maneira de ajustar dinamicamente o valor da conversão para corresponder ao valor real do pedido.

Isso geralmente significa que os valores de conversão correspondem à receita e não ao lucro, já que a tag extrai o valor monetário que o cliente gastou em uma transação.

Também é possível acompanhar o lucro usando o método baseado em tags, desde que o valor do lucro seja conhecido e acessível quando a tag for disparada.

Isso pode exigir integração profunda com seus sistemas de estoque e software de terceiros para calcular com precisão o lucro de cada venda em tempo real.

Assim, embora seja possível acompanhar o lucro, pode não ser prático ou viável para a maioria das empresas devido à complexidade adicional envolvida.

A configuração do acompanhamento de conversões baseado em tags requer proficiência técnica e pode ser um desafio para empresas com vários produtos ou serviços.

Outra limitação do rastreamento baseado em tags é sua dependência de cookies para atribuir conversões ao clique no anúncio. Quando um usuário rejeita, bloqueia ou exclui cookies, isso pode resultar em lacunas de dados, impactando negativamente sua otimização.

Saiba mais sobre o acompanhamento de conversões baseado em tags nesta documentação de ajuda do Google Ads.

 

Acompanhamento de conversões offline

O acompanhamento de conversões offline usa um identificador de clique do Google (GCLID) para rastrear resultados de conversões offline após a interação de um usuário com seu anúncio.

O GCLID é uma sequência exclusiva de caracteres que o Google anexa automaticamente aos seus URLs de destino. Esse método de rastreamento exige que você capture o parâmetro GCLID junto com os detalhes do lead ou do cliente e os armazene em seu banco de dados de CRM.

Você pode importar esses dados de volta para a plataforma assim que um valor de conversão for atribuído. O Google usará então o GCLID para associar o valor da conversão ao clique correto.

Você pode importar conversões offline manualmente na interface do Google ou agendar um upload recorrente por meio do Planilhas Google, HTTPS ou SFTP. Como alternativa, você pode automatizar esse processo usando a API do Google Ads, o que exigiria a participação do desenvolvedor.

Vale a pena verificar se o seu CRM existente pode ser integrado diretamente ao Google Ads, pois isso pode economizar muito tempo e esforço.

O acompanhamento de conversões offline pode ser uma maneira confiável e abrangente de acompanhar os resultados das conversões.

 

Avaliando a preparação da sua empresa para o ROAS desejado

Uma estratégia de lances baseada em valor bem-sucedida se resume à variabilidade, volume, velocidade e precisão de seus dados e à infraestrutura necessária para dar suporte à sua operação de marketing.

  • Variabilidade é o grau em que o valor de suas conversões flutua.
  • Volume refere-se à quantidade de dados de conversão que você gera.
  • A velocidade mede a rapidez com que você pode enviar os dados de volta para a IA.
  • Embora a precisão seja a medida em que seus dados refletem o verdadeiro valor econômico para o seu negócio.
  • Sua infraestrutura representa a base técnica para coletar, armazenar e importar dados de conversão para a plataforma do Google Ads.

Estabelecemos que a IA prospera com base nos dados, mas para aproveitar totalmente o ROAS desejado, é vital encontrar o equilíbrio certo entre qualidade e quantidade.

Embora o Google recomende a otimização para a conversão mais abaixo no funil que atenda aos critérios de elegibilidade, essa pode nem sempre ser a melhor abordagem. Dependendo da qualidade dos seus dados, você poderá obter melhores resultados otimizando para uma conversão mais acima no funil que fornece mais pontos de dados à IA.

Às vezes, alimentar a IA com muitos dados “bons” pode compensar a alimentação com o mínimo de dados “ótimos”.

Da mesma forma, um conjunto menor de valores de conversão calculados com precisão pode superar um conjunto maior de valores de conversão calculados com menos precisão. Cabe a você adaptar sua estratégia às circunstâncias comerciais específicas e testar seu caminho para o sucesso.

A avaliação teórica é um bom ponto de partida. Mas para saber quão eficazes podem ser os lances baseados em valor, você teria que pressionar o botão ao vivo e descobrir.

Fonte: Search Engine Land

Quer saber de tudo, antes de todos?

Receba as principais notícias e atualizações sobre redes sociais, ads e marketing digital resumidas no seu e-mail!

Isso pode te interessar:

OPINE:

Compartilhe:

VEJA TAMBÉM:

Google Ads

Checklist do Google Ads: 5 maneiras de auditar e otimizar suas campanhas

Aumente seu sucesso no Google Ads! Audite, otimize e direcione o público certo para maximizar o ROI e as conversões

Não pague à Apple! Meta compartilha dicas para evitar taxas de impulsionamento de posts

A Meta publicou um infográfico dando quatro dicas para anunciantes evitarem a taxa de 30% da Apple ao impulsionar seus anúncios

Telegram ou WhatsApp? O que usar no seu marketing

Telegram ou WhatsApp: qual usar no seu marketing?

Telegram ou WhatsApp? Qual usar dentro das suas estratégias de marketing? A resposta não é tão simples quanto parece.

Aqui você encontra as principais notícias sobre Marketing Digital e atualizações sobre o mundo das Redes Sociais, Ads, Infoprodutos, Vendas Online.