Já pensou ser a novela que seus seguidores não conseguem parar de assistir?

Provavelmente você já ficou meses preso à narrativa de alguma novela. Hoje, você pode causar esse mesmo efeito na audiência com seus storys

Luz, câmera, storys… O privilégio de ter a atenção de milhares de pessoas já não é mais das grandes emissoras e produtoras.

Hoje, com um celular e uma conta do Instagram, você pode atrair tantas pessoas quanto seu conteúdo for capaz de se conectar.

Independentemente do seu nicho, um dos recursos mais importantes para trazer e manter as pessoas interessadas no seu perfil, é a estratégia que apelidamos de “storytelling da vida real” — SVR.

Considerando que em algum momento da vida você já se viciou em novelas (ou mesmo em algum seriado), vamos usar esses exemplos para apresentar o SVR de forma fácil.

 

SVR para viciar sua audiência

SVR é como se fosse uma novela onde você é o personagem principal, o diretor e o roteirista.

Mas, diferente das novelas da TV, em que predomina a ficção, o SVR deve ser o “mais puro suco” do agora: das banalidades às reflexões profundas com adicional de curiosidade e interação.

Bom ou ruim, você será o principal (para não dizer único) responsável por essa estratégia dar certo.

Sendo assim, vamos passar tudo o que você precisa saber para deixar sua audiência viciada em você.

 

Elementos SVR

Os principais componentes são:

  • Forma: story
  • Horário: enquanto o Sol ou a Lua estiverem no céu, vai ser um bom horário. (Piadinha infame, né? Mas você entendeu).
  • Duração: não existe conteúdo longo, existe conteúdo chato. Então, seja criativo e atraente.
  • Personagens: tantos quanto couberem na sua vida — ou na sua tela.
  • Enredo: se estamos falando de vida real, não tem como limitar ou prever a sucessão dos fatos de cada dia. Logo, vá até onde faz sentido para você e para a audiência.

 

Núcleos

Assim como uma novela tem diversos núcleos, seu SVR também deve ter.

O núcleo da sua vida fitness, o núcleo da sua vida familiar, do seu trabalho, do seu lazer, dos amigos, do happy hour, da religião.

Cada um desses núcleos têm histórias e personagens próprios que, por óbvio, estão ligados a você, mas não necessariamente interagem entre si.

Mostrar sempre só trabalho é chato, sempre só academia é chato, sempre só lazer é chato.

Por quê?

Simplesmente porque sua vida não é uma coisa só e seu público sabe disso.

Além disso, ainda que inconscientemente, se você mostra só uma parte da vida, não parece ser real, nem causa identificação e, por cima, pode gerar desconfiança.

Mas atenção! Mostrar um núcleo é diferente de mostrar rotina. Rotina é mostrar vários núcleos sempre aparecendo pelo seu story. Então, a primeira estratégia é ruim, a segunda é completamente desejável.

 


O que é indispensável?

Assim como na novela, no SVR você precisa tornar as histórias interessantes e ser estratégico para causar alguma curiosidade.

Sabe quando o capítulo acaba bem na melhor hora? Tente fazer isso entre um story e outro.

Você já deve ter ouvido sobre a jornada do herói, então sabe que essa narrativa só se faz por meio de uma história com altos e baixos, dias bons e dias ruins, muito erros e muito aprendizado. Pois bem, veja só, um SVR bem feito (e uma novela) é a mesma coisa.

Ninguém gosta de quem só ganha ou só perde, não é interessante. Lembre-se que SVR significa storytelling da vida real, e na vida de 100% das pessoas existem altos e baixos.

Então aqui vai um conselho, se não for para ser real, nem gaste seu tempo nessa estratégia.

 

Sabe por que isso funciona?

Porque pessoas se conectam com pessoas… só que essa frase clichê você já sabe.

O porquê real é muito menos glamoroso e muito mais simples: porque todo mundo adora uma fofocaduras verdades.

Mais do que uma história que, por si só, já gera interesse, as pessoas gostam de saber o que está acontecendo na vida umas das outras, seja para se comparar, seja para se inspirar e até para, simplesmente, julgar.

Agora, juntar essa novela da vida real com storytelling é estouro na certa!

 

Em quem você pode se inspirar

Aqui estão dois exemplos de pessoas nas redes sociais que utilizam o SVR de formas diferentes.

@ricademarre

A blogueira conhecida como Rica de Marré mostra o que parece ser absolutamente tudo, com todos os momentos do dia registrados ali.

Tem story feito direto da cama antes de dormir ou assim que acorda, tem comentários sobre querer (ou não) ir à academia, tem o treino, foto do prato de almoço, vídeos comentando assuntos pessoais sobre o dia e sobre algum acontecimento, tem caixinha de pergunta, publi, look do dia, ela mostra onde vai, com quem vai, mostra os drinks, mostra viagens, quarto de hotel, comenta as comprinhas de luxo que faz, falou sobre a perda do seu cachorrinho, apareceu chorando e dizendo como estava difícil, fala das brigas com o marido, dos furos na dieta, conta das dificuldades e dos erros recentes e do passado, e por aí vai.

Você entendeu.

 

@berudolph

Bettina Rudolph, a jovem prodígio do marketing digital, também faz um SVR muito bem elaborado.

Bettina sempre coloca seu toque especial na forma de fazer marketing. Ela entende a essência e a intenção da estratégia e adapta a sua visão de mundo.

Dentro de 24 horas, aparecem diversos núcleos. Ela escolhendo roupas, trabalhando, estudando, aparece seu relacionamento, depoimentos de alunos, ida a salão, sua própria casa e, no meio disso tudo, publis — é claro.

 

Pega essa dica!

Esses dois exemplos têm uma coisa em comum: o storytelling é tão bom, o que se mostra da vida parece tão real, com diversos núcleos e vivências, que fica fácil colocar um publi no meio disso tudo.

Se couber publiposts no seu perfil ou no perfil do seu especialista, ótimo, mas, se não couber, troque o publi por um CTA para o evento de lançamento.

Percebe como fica muito mais natural, mais confiável, menos invasivo e menos chato se isso vier dentro de um contexto (leia-se vida) que sua audiência já conhece?

 

Mas nem tudo são flores 💐

Sendo bem realista, provavelmente, no começo, você vai ficar nos extremos 8 ou 80: ou vai postar tudo e mais um pouco, ou não vai querer postar quase nada, só foto à toa que não faria diferença.

“Ok, mas o que é melhor?”

Para fazer o SVR direito você vai ter que encontrar o seu meio termo. Isso porque ambos os extremos têm pontos negativos.

Postar tudo o tempo todo:

  • Ficar refém da audiência.
  • Ser cancelado por alguma fala ou atitude.
  • Perder o limite entre o que merece ser postado e o que deve ser resguardado.
  • Expor alguém que não gostaria de aparecer.
  • Receber opinião não solicitada.
  • Receber comentários invasivos e ofensivos.

O negativo do outro extremo é fácil de concluir qual é. Dificultar o contato, a conexão, a interação e a confiança da audiência em você.

Esse caminho de pouco postar e pouco aparecer, funciona? Sim, mas, provavelmente, vai levar muito mais tempo até que os resultados que dependem de escala apareçam.

Você pode atravessar o país a pé ou de avião. A escolha é sua. Sendo assim, decida, teste e analise os resultados.

Quer saber de tudo, antes de todos?

Receba as principais notícias e atualizações sobre redes sociais, ads e marketing digital resumidas no seu e-mail!

Isso pode te interessar:

OPINE:

Compartilhe:

VEJA TAMBÉM:

Gemini geração de imagem

Google suspende geração de imagens por IA após erros históricos e raciais

O Gemini, ferramenta de IA do Google, gerou imagens dos nazistas e dos fundadores dos EUA como pessoas negras, gerando debate sobre racismo

Threads da Meta e Facebook

Ainda tentando! Meta está testando postagens cruzadas do Facebook para Threads

Segundo a Meta, o recurso ainda está em teste para usuários do iOS e pretende facilitar o cruzamento de postagens entre Facebook e Threads

Gemini no Performance Max do Google

Google está adicionando Gemini às campanhas Performance Max

Google anunciou está adicionando seu modelo de linguagem IA Gemini às campanhas Performance Max, para ajudar a criar campanhas mais eficazes

Aqui você encontra as principais notícias sobre Marketing Digital e atualizações sobre o mundo das Redes Sociais, Ads, Infoprodutos, Vendas Online.