Marketing Orgânico: como usar SEO e outros canais não-pagos para crescer

Sua empresa está pagando cada vez mais caro por mídia? Descubra como o marketing orgânico pode ajudar a gerar demanda para seu negócio

É inegável que o mundo do marketing digital está em constante evolução. Com isso, à medida que a internet se torna o ponto central das interações comerciais, as empresas enfrentam desafios cada vez mais complexos.

Nos últimos tempos, houve uma explosão nos custos de mídia que impacta empresas globalmente. Além disso, o iminente fim dos cookies de terceiros adiciona uma camada de complexidade, pois os profissionais de marketing buscam maneiras de manter o ROI (retorno sobre o investimento).

No entanto, há um desafio ainda maior: no ambiente digital, os consumidores agora detêm o controle. Eles escolhem quando, onde e como interagem com as marcas, tornando crucial que as empresas se adaptem a essa nova dinâmica para se destacar em meio à concorrência.

E é aqui que entra o conceito de Marketing Orgânico, que vem ganhando cada vez mais relevância. Por isso mesmo traremos a abordagem de Diego Ivo, fundador e CEO da Conversion, que trouxe o assunto à tona durante sua palestra no “SEO Summit 2023.”

Assim, veremos alguns insights valiosos sobre como as empresas podem utilizar estratégias de marketing orgânico, como o SEO e outros canais não-pagos, para superar os desafios atuais e alcançar resultados excepcionais.

 

Ascensão do Marketing de Performance e o desafio do Diminishing Returns

No início do século XXI, o marketing digital testemunhou uma revolução com a ascensão do marketing de performance. Foi uma era em que empresas se voltaram para o Google e outras plataformas para mensurar rapidamente os resultados de suas campanhas. Essa abordagem prometia um alto retorno sobre o investimento, o famoso ROI.

No entanto, em 2023, observamos um panorama significativamente diferente. Nesse cenário, Google e Meta (anteriormente conhecida como Facebook) detêm uma fatia considerável da venda de mídia digital, e o foco na performance se tornou a norma. Grandes quantias do orçamento de marketing agora são direcionadas para ações de curto prazo, com a busca paga se destacando como um canal com alto ROI.

Em 2023, Google e Meta dominam 57% da venda de mídia digital no mundo

Mas aqui está o desafio que Diego Ivo tão perspicazmente apontou em sua palestra: o “Diminishing Returns”. À medida que as empresas investem mais em estratégias de performance, a eficácia do retorno sobre o investimento diminui. Parece contraditório, mas a razão é simples.

A abordagem de performance tende a se concentrar em um público relativamente pequeno, geralmente entre 3% a 9% das pessoas que estão prontas ou quase prontas para fazer uma compra. No curto prazo, isso pode gerar resultados sólidos, mas, à medida que mais empresas competem por esse mesmo público, o cenário se torna um “oceano vermelho”.

buyers pyramid

O que isso significa na prática é que as empresas acabam disputando pelo mesmo cliente, com implicações graves:

  • Uma corrida de preços que pode levar à redução de margens.
  • Um aumento no Custo de Aquisição de Clientes (CAC).
  • Uma redução no Valor do Tempo de Vida do Cliente (LTV).

Imagine, por exemplo, uma empresa que investe R$1 milhão por mês em anúncios no Google Ads. Os números revelam um cenário intrigante:

  • Publicidade Branded: R$ 294.866 investidos com um ROAS de 33,9.
  • Publicidade Non-Branded: R$ 705.134 investidos com um ROAS de 1,3.
  • Total: R$ 1.000.000 investidos com um ROAS geral de 10,9.

O que é notável aqui é que a maior parte das vendas de search ads vem da busca de marca, independentemente do aumento do orçamento. A mensagem é clara: simplesmente aumentar o orçamento não resolve o problema. É necessário criar demanda para a marca.

 


Criação de demanda & o novo branding

A solução para esse impasse reside na criação de demanda e na evolução do branding. Criação de demanda, um conceito tão certeiro que 99% das palavras-chave buscadas para o site da Apple são “branded keywords”. O branding está passando por uma reviravolta, mas agora com ênfase na criação de demanda para o desempenho.

O conceito é ilustrado de forma marcante pela Airbnb, que, após anos deficitários, migrou uma parte significativa de seu investimento de performance para branding e se tornou lucrativa em 2022.

Essa mudança, inclusive, não é inédita, pois a eBay já havia questionado a abordagem convencional e realizou um estudo que destacou a baixa eficácia dos search ads em vendas, enquanto o Google relatava um alto ROAS de 2.568%, o estudo indicou que o retorno real era -70%.

Logo, a pergunta que surge naturalmente é:

 

Como, então, criar demanda?

Há várias estratégias para criar demanda, e o marketing orgânico desempenha um papel fundamental nesse processo. Diego Ivo destaca que o marketing orgânico é uma filosofia que privilegia os canais não-pagos. O motivo? Simplesmente porque os consumidores preferem a experiência que esses canais oferecem.

Mas o que exatamente é o marketing orgânico? De acordo com Ivo, é uma abordagem pragmática para construir relevância e marcas, com um foco nítido nas vendas. Importante notar que o tráfego pago não é visto como inimigo, mas sim como um acelerador.

 

Pilares do Marketing Orgânico

O marketing orgânico é sustentado por quatro pilares que orientam as estratégias das empresas:

  1. Branding: A marca é o centro de tudo em uma empresa, desde o produto até a comunicação e a cultura. O branding eficaz é fundamental para se destacar no mercado.
  2. Relevância & Inovação: Ter um produto inovador e criar conteúdo relevante é a chave para conectar-se com o público. O conteúdo deve dialogar com as dores dos clientes e transmitir o propósito da marca.
  3. Autoridade: Ser reconhecido e referenciado por outras pessoas e sites aumenta significativamente a probabilidade de conversão. Ser um especialista ou o melhor em algo é crucial.
  4. Performance: Todas as ações de marketing devem estar interligadas, visando à criação de demanda e ao aumento das vendas.

 

Criação de demanda na prática

A criação de demanda não é uma teoria distante, mas sim uma estratégia adotada por diversas empresas comprovadamente bem-sucedidas. Um exemplo emblemático é a Airbnb, que migrou parte considerável de seu investimento de performance para estratégias de branding e se tornou lucrativa em 2022.

Airbnb

Mas não é apenas a Airbnb; outras empresas também trilham esse caminho. A Conversion, por exemplo, utiliza o Data-Driven PR com um índice de mercado proprietário para gerar autoridade e leads. No último ano, conquistou backlinks de mais de 300 novos domínios de referência e milhares de leads organicamente.

Da mesma forma, a Adobe Express investe em SEO de ferramentas para criar demanda e converter em assinaturas, enquanto o Gran Cursos, o maior site de educação no Brasil, investe em conteúdo para gerar demanda. A Localiza, a quarta maior marca do Brasil, implementou uma estratégia omnichannel para rentabilizar a demanda capturada.

 

O novo SEO aumenta as buscas pela marca

Em um mundo onde a criação de demanda se destaca, o branding e a busca orgânica têm uma relação simbiótica. O novo SEO não é apenas sobre classificar bem nos mecanismos de busca, mas também sobre aumentar a demanda pela marca.

 

Investir em branding é comprar performance futura

O investimento em branding é, na verdade, um investimento em performance futura. Quando uma empresa concentra esforços na criação de demanda e na construção de uma marca sólida, ela está plantando as sementes para o sucesso a longo prazo.

Como já mencionado, a Airbnb é um exemplo claro desse conceito. Durante anos, a empresa operou com prejuízo, mas, ao migrar uma parcela significativa de seu investimento de performance para branding e PR, ela colheu os frutos em 2022, tornando-se lucrativa. A Airbnb é um caso notável, mas essa estratégia não se limita a empresas gigantes; organizações de todos os tamanhos podem adotá-la com sucesso.

E enquanto muitas empresas alocam a maior parte de seu orçamento de marketing em busca paga, Diego Ivo destaca a necessidade de criar demanda para a marca. O novo branding não se trata apenas de aumentar o reconhecimento da marca, mas também de direcionar o público-alvo para uma conversão valiosa.

 

A revolução do marketing orgânico

Nesse cenário, a inovação desempenha um papel crucial. À medida que as empresas exploram estratégias de marketing orgânico, a necessidade de inovação se torna mais evidente. As marcas devem acompanhar as mudanças nas preferências dos consumidores e se adaptar constantemente.

Ao criar conteúdo relevante e envolvente que gera conexão com as dores dos clientes, as empresas podem estabelecer conexões profundas e autênticas. Isso não apenas aumenta a probabilidade de conversão, mas também constrói lealdade dos clientes.

Sendo assim, a mudança do marketing de performance para estratégias de branding e criação de demanda revela uma abordagem que pode resultar em um retorno sustentável sobre o investimento e na construção de marcas sólidas.

Se você ficou intrigado com as ideias e estratégias apresentadas por Diego Ivo sobre o marketing orgânico, ainda há mais para explorar. A Conversion disponibilizou todos os slides das palestras do SEO Summit 2023, incluindo a palestra de Ivo. Basta clicar aqui para acessar esses slides e obter insights mais detalhados sobre as novidades no mundo do SEO.

Quer saber de tudo, antes de todos?

Receba as principais notícias e atualizações sobre redes sociais, ads e marketing digital resumidas no seu e-mail!

Isso pode te interessar:

OPINE:

Compartilhe:

VEJA TAMBÉM:

Gemini geração de imagem

Google suspende geração de imagens por IA após erros históricos e raciais

O Gemini, ferramenta de IA do Google, gerou imagens dos nazistas e dos fundadores dos EUA como pessoas negras, gerando debate sobre racismo

Threads da Meta e Facebook

Ainda tentando! Meta está testando postagens cruzadas do Facebook para Threads

Segundo a Meta, o recurso ainda está em teste para usuários do iOS e pretende facilitar o cruzamento de postagens entre Facebook e Threads

Gemini no Performance Max do Google

Google está adicionando Gemini às campanhas Performance Max

Google anunciou está adicionando seu modelo de linguagem IA Gemini às campanhas Performance Max, para ajudar a criar campanhas mais eficazes

Aqui você encontra as principais notícias sobre Marketing Digital e atualizações sobre o mundo das Redes Sociais, Ads, Infoprodutos, Vendas Online.